Entrevista e capa de Gwen Stefani para a Cosmopolitan.

Gwen Stefani é capa da edição de Setembro da revista Cosmopolitan! Além de posar para um ensaio, ela concedeu uma entrevista sobre o fim de seu casamento com Gavin Rossdale, o atual namoro com Blake Shelton e como a música a salvou. Confira aqui as fotos e a matéria traduzida:


Assista ao making of do ensaio fotográfico aqui.


Gwen na capa da Cosmopolitan de setembro

Todos já conhecem a história de Gwen Stefani. Ou pelo menos acham que conhecem. O essencial: garota californiana ska-punk se torna superestrela global, primeiro como vocalista da No Doubt e então como badalada cantora solo com um lado de veneradas linhas de moda (L.A.M.B) e fragrâncias (Harajuku Lovers). Ela passou 13 anos casada com Gavin Rossdale, vocalista da Bush com quem teve três meninos: Kingston, Zuma e Apollo. O casal se separou em agosto passado e agora compartilham a guarda das crianças. Três meses depois, Gwen tornou público seu relacionamento com Blake Shelton, seu colega de The Voice, da NBC, e ex-marido da cantora Miranda Lambert. As estrelas do country se divorciaram em julho de 2015.

A exata linha do tempo de quem, quê, quando e como os casais da realeza da música terminaram é obscuro. Detetives podem investigar o último álbum de Gwen, This Is What The Truth Feels Like, e If I’m Honest de Blake (sentimos um tema) para explicações do que aconteceu. Escute principalmente seu dueto Go Ahead And Break My Heart, o qual Gwen co-escreveu com Blake para o álbum dele. O boato é que Gavin a traiu com a babá (já ouvimos essa antes). Mas, que seja, isso foi antes. Esta é a Gwen. No estúdio de sua sessão de fotos para a Cosmo, a cantora – que foi criado como Católica Romana – é hiper-espiritualizada, deixando-se levar pelo poder de Deus, orações e bençãos em cada oportunidade. “É uma jornada na que eu tenho estado”, ela fala de sua fé. “Eu me perdi por um tempo, mas encontrei meu caminho de volta. Tantos milagres loucos têm acontecido em minha volta, eu não acho que posso ser responsabilizada por eles.”

Ela também está tremendamente feliz. Uma mulher transformada não por seus usuais penteados e maquiagens extravagantes, mas pelo fenômeno de altos e baixos e altos que passou nos seus 46 anos. “Se você olhar todos os álbuns que escrevi, havia tantos avisos,” ela diz. “Até em uma canção de amor haveria uma frase como, “A propósito, seu filho da mãe!” Era tão chato e não era quem eu sou. Eu sou positiva. Eu sou cheia de amor. Eu sou cheia de esperança.” Para ver como Gwen partiu de Don’t Speak para falar sua verdade, continue lendo.

COSMO: Você teve um ano e tanto!
GWEN: Tem sido uma loucura. Blake e eu tivemos nossa música [Go Ahead And Break My Heart] lançada ontem, e estávamos sentados lá, tipo, “você não devia ter escrito isso!” Tão bizarro.

C: Você o conhecia antes de entrar ao The Voice?
G: Não. Eu não sabia nada sobre quem ele era, nem mesmo sobre o programa, quando recebi a ligação. Eu me lembro que uma das minhas babás era atraída por ele e me falava, “Oh yeah, aquele cowboy…”

C: Vocês pareciam muito próximos durante sua segunda temporada no programa.
G: Nós morremos de rir quando vimos as audições às cegas. Eu amo a NBC, mas eles com certeza editaram algumas coisas para parecer que estávamos flertando. Eles decidiram usar essa história antes que qualquer coisa fosse real. Eu mal o conhecia. Mas foi como se estivesse no ar – acontecendo antes de acontecer.

C: E então aconteceu de verdade…
G: A história é tão louca. Eu me apresentei no Grammy [em fevereiro de 2015]. Cheguei em casa e, no dia seguinte, descobri o que todos sabem…

C: Sobre o Gavin? Ninguém sabe dos detalhes, porém.
G: Ninguém exceto meus pais, as pessoas envolvidas, e quem quer que eles tenham contado. Ninguém acreditaria se eu realmente pudesse contar o que aconteceu. Eu passei por meses e meses de tortura. Eu sabia que iria fazer o The Voice. Eu estava tipo, “Ah meu Deus, eu vou ser demitida se fizer um divórcio”, porque eu não sou assim para ter isso acontecendo comigo. Eu tinha esse grande segredo.

C: Você sabia que algo estava acontecendo?
G: Não há necessidade de responder isso jamais. Tudo que você precisa fazer é ouvir cada música que já escrevi e vai estar tudo lá. É um tema recorrente que eu tenho tido por um bom tempo.

C: O que fez você decidir confessar?
G: Quando voltamos para começar a filmar o The Voice, Blake disse, “Eu quero que todos saibam que no momento em que isto for ao ar, eu estarei divorciado.” Isto foi numa terça-feira – ele havia descoberto no sábado todo o negócio dele.

C: Que era…?
G: Bom, nós tínhamos as exatas mesmas histórias acontecendo exatamente ao mesmo tempo. Eu só fiquei olhando para ele em choque por ele não ter medo de falar isso, porque eu não sabia o que iria acontecer comigo naquele momento. Eu estava tentando resolver.

C: Qual foi este processo?
G: Eu tive que olhar de volta para minha vida e pensar “Por quê? O que fiz para merecer isso?” Eu senti pena de mim mesma, mas eu também senti que todos nós temos uma cruz para carregar nesta vida. Tem que haver uma razão para isso. Minha amiga [diretora] Sophie Muller me ajudou. Mas eu me sentia tão envergonhada na frente dela. Eu não queria sentar lá e dizer “Por quê eu?” Tipo, se eu conseguir transformar isso em arte de alguma forma, então ela vai achar que eu sou legal.

C: Você realmente estava preocupada em parecer legal?
G: Não era legal! Mas eu não queria ser derrotada por isso. Não parecia certo. Então eu me levantei e fui para o estúdio. Foi difícil porque eu já estava insegura sobre compor sem os problemas que estavam acontecendo. Eu dirigi pela avenida Santa Monica chorando, tipo, “O que estou fazendo? Estou no olho do furacão e agora vou me torturar ainda mais?” O que estava acontecendo naquele dia é bizarro. Você nem acreditaria. Mas escrevi uma música chamada You Don’t Know Me, e foi uma pequena faísca de esperança. Eu me senti tão bem de colocar pra fora. Eu não sabia se jamais seria curada, mas sei que precisava fazer isso. Era isso que me curaria.

C: Você estava com medo de revelar muito?
G: Não, eu sabia que se conseguisse canalizar tudo que aconteceu comigo e compartilhar, isso poderia ajudar as pessoas. Todo mundo tem um coração partido e passa por coisas difíceis, e muitos não têm uma plataforma. Sou sortuda. Eu tenho a música. O único lugar em que senti algum tipo de conforto foi no estúdio. Naquele período, além de minha família ter desmoronado, meus filhos foram levados embora por metade do tempo. Isso não é justo. Eu não fiz nada de errado. Foi devastador. A única coisa que pude fazer foi dizer “Isto é parte do plano de Deus.” Se eu não tivesse aquele tempo, eu não teria escrito o álbum. Eu não teria me curado. Eu já tinha perdido tanto da minha confiança antes mesmo de toda a tragédia. Você não entende o quão longe eu estava.

C: O que você quer dizer?
G: Houve uma época em que eu estava desesperada para escrever. Você tem uma longa carreira e não quer que ela acabe. Você começa a ficar competitiva com o que já fez antes e competitiva com coisas que as pessoas fizeram depois de você e que se parecem com você. Tantas vezes que eu ia ao estúdio, e as pessoas ficam empolgadas por eu estar lá, mas não têm a confiança de que eu ainda consiga fazer algo. Eu rezava para que encontrasse algo. Para este álbum, tive a equipe certa. Assim que as músicas começaram a vir através de mim, senti como se tivesse sido escolhida. Deus estava naquela sala. Eu estou soando como um louca de nascença novamente, mas este álbum foi um milagre. Quando escrevi Used To Love You, foi uma grande reviravolta.

C: Como o assunto dessa música se sentiu sobre ela?
G: Eu não sei. Não falei com ele sobre isso. Mas tudo mudou naquele momento, porque comecei a me apaixonar, o que foi completamente inesperado. Ainda não consigo acreditar.

C: Agora você tem uma música com o Blake, algo que nunca teve com o Gavin.
G: Isso tudo é apenas ser real. Aconteceu muito cedo. Nós dois estávamos tendo problemas de confiança, como qualquer um teria se fosse a gente. Foi como, “Eu tenho tantos problemas. Como posso agora estar me metendo em outro potencialmente grande problema? O que estou fazendo?” Blake escreveu a música e a enviou para mim. Ele falou tipo, “Me ajude a terminá-la.” Eu escrevi um verso e enviei para ele, mas ele estava fora porque não vive em Los Angeles. Ele não tinha Wi-Fi, então não estava me respondendo de volta! Assim que ele voltou para a cidade, ele trouxe seu violão. Nós estávamos tipo, “Escrevemos uma música juntos! Isto é louco!”

C: Você já falou muito sobre sempre ter desejado ter bebês.
G: Eu sempre quis ter quatro. Minha mãe teve quatro, e eu queria ser minha mãe. Mas isso apenas nunca aconteceu.

C: Bom, ainda não acabou-
G: Não, não, está acabado!


Gwen na CosmopolitanEm suas próprias palavras:

Meu momento feliz: Escrever música, beijar meus bebês.

Antes de entrar no palco, eu sempre tenho que: Fazer xixi; rezar.

Meus emojis mais utilizados: emojis

Minha matéria favorita na escola era: Almoço.

Se eu pudesse escolher apenas três produtos de beleza, eles seriam: Batom vermelho, batom vermelho, batom vermelho <3

Minha gíria californiana favorita: “Tipo, hm…”

Meu palavrão favorito: Cocô <3

Não consigo evitar de dançar quando escuto: Whip/Naenae!

O que eu faço quando preciso de confiança: Uso um filtro.

Maior atração: Verdade

O mais broxante: Mentiras :'(

“Muuuuuuito grata a vocês – a esse período mágico e a minha jornada louca.”


Scans:

Fotos:


Fonte: Cosmopolitan

Fotógrafo: James White

Tradução: Equipe GSBRA